Translate

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Essa é divina

Os vinhos têm seu lugar, mas no calor a cerveja também é uma excelente opção, principalmente ser for especial. Amante dessa iguaria*, vários de seus sabores me agradam, desde as frutadas até as mais fortes.

A última que tive o privilégio de degustar é a “Deus, Brus des Flandres”, uma cerveja de sabor particular e evidentemente marcante. Seu rótulo avisa: Esta extraordinária e espumante cerveja, produzida com cevada e 11,5% de teor alcoolico, é fermentada na Bélgica. Sirva gelada (2-4oC). 

E assim foi feito! Simplesmente perfeita!

"Deus, onde você esteve todos esses anos?"

*Se curte cervejas especiais, leia também "Bora tomar uma?" 

Texto e foto por Adriana Jardim

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

O sol à meia-noite




Durante o dia, privilegiar a iluminação natural, deixar com que a claridade entre no ambiente e seja nossa principal fonte de luz, além de econômico, é bastante confortável e saudável. Mas, e à noite? As lâmpadas que emitem luz amarela são mais interessantes do que as que emitem luz branca. Repare que, quando entramos em um lugar com luz amarela, a sensação que temos é de calma e aconchego. Há estudos que comprovam que isso se deve ao fato da luz amarela reproduzir a luz natural vinda do sol. É a iluminação ideal para ambientes de aprendizado e que requerem concentração da visão como desenho, leitura e escrita.
 
As lâmpadas fluorescentes também existem na versão “luz amarela”. Entretanto, as lâmpadas fluorescentes “piscam” em uma frequência imperceptível aos nossos olhos o que pode acabar originando um cansaço visual. Uma boa opção é a lâmpada LED que já se encontra facilmente no mercado. É bastante econômica, não emite calor e sua vida útil é longa (pode chegar a 50 mil horas) garantindo o custo benefício.
 
A iluminação indireta e cênica (de efeito) também deixa o ambiente maravilhoso. Ela pode acontecer em jardins, áreas externas e piscina ou em sancas (detalhes em gesso no teto e paredes) e móveis. Em alguns desses casos, o Led no formato de “fita” é uma ótima opção.
 
Tudo se complica quando tentamos combinar luz, cor, espaços, volumes e mobiliário. As cores das paredes, móveis e tetos influenciam na quantidade de luz no ambiente e são capazes de criar efeitos inesperados (luz e sombra). A cor branca, por exemplo, reflete e espalha a luz, diferente das cores fortes ou escuras que absorvem a luz. É possível, ainda, medir a quantidade de luz com um aparelho chamado luxômetro. Para obter uma comodidade visual necessária em cada atividade ou trabalho que realizemos, são necessários níveis mínimos de iluminância. Consulte sempre um profissional.
 
A dica é: Nos lugares que visitar, observe a decoração, o estilo, a iluminação e “sinta” o espaço. Tente perceber a sensação que ele lhe proporciona a curto e a longo prazo de permanência. É que, ambientes muito carregados podem causar um bom impacto visual, mas com o tempo, podem se tornar cansativos.
 
“Um espaço corretamente iluminado é fonte de alegria e vida.” Mariano Bueno


Texto e foto por Adriana Jardim